250 a 900 DC - O consumo do cacau ficou restrito à elite da sociedade Maia como uma bebida de grãos moídos sem doce.

600 DC - Os Maias emigram para regiões ao norte da América do sul estabelecendo em Yucatan as mais antigas plantações de cacau conhecidas.

Século 14 - A bebida de cacau se tornou popular entre a classe alta da sociedade Asteca, que usurpou o cacau dos Maias adotando o nome de XOCALATL (bebida amarga) para a bebida e passou a cobrar taxas pelas amêndoas de cacau.

1502 - Cristóvão Colombo se deparou com uma grande canoa em Guanaja comercializando amêndoas de cacau.

1519 - O explorador espanhol Hernando Cortez registrou o uso do cacau pela corte do imperador Asteca Montezuma.

1544 - Uma delegação Maia da região de Kekchi chegou à corte de Espanha para visitar o Príncipe Filipe levando uma jarra de bebida de cacau moído. O consumo de cacau ficou restrito à corte espanhola durante todo o resto do século. No século 16 os Espanhóis passaram a adicionar açúcar e aromatizantes tais como baunilha na bebida de cacau.

1570 - O cacau já era consumido na Espanha por suas qualidades medicinais e afrodisíacas.

1585 - Chegou a Sevilha, na Espanha, o primeiro carregamento de amêndoas de cacau partindo do porto de Vera Cruz no México.

1657 - Foi aberta a primeira casa de chocolate em Londres por um Francês, chamada: The Coffee Mill and Tobacco Roll. A bebida era vendida por peso e custava de 10 a 15 shillings, o que era muito caro, sendo a bebida consumida somente pela elite da sociedade na ocasião.

1674 - Se iniciou o hábito de se degustar chocolate na forma de bolos e doces servidos nos Empórios do chocolate.

1730 - O cacau caiu de preço alcançando 3 libras/libra peso propiciando o aumento de consumo.

1732 - O inventor francês Monsieur Dubuisson inventou um moinho movido a água para moer amêndoas de cacau e chocolate.

1753 - O naturalista sueco Carolus Linnaeus renomeou o cacau como Theobroma (Alimento dos Deuses).

1765 - O chocolate foi introduzido nos Estados Unidos pelo fabricante irlandês John Hanan com amêndoas importadas da Índia. Com a ajuda do Dr. James Baker elas foram processadas numa fábrica situada na cidade de Dorchester, Massachusetts. Mais tarde se tornam sócios, fundando em 1780 a primeira fábrica de chocolate americana chamada Chocolate Baker.

1795 - O inglês chamado Dr. Joseph Fry of Bristol, empregou a primeira máquina de vapor para fabricação de chocolate, o que permitiu a fabricação de chocolate em grande escala de produção.

1819 - O fabricante francês François Louis Callier, fundou a primeira fábrica suíça de chocolate.

1828 - O holandês Conrad Van Houten, inventou em Amsterdan a primeira prensa de cacau que ajudou a diminuir os custos de fabricação melhorando também a qualidade das bebidas de chocolate. O processo de alcalinização de cacau conhecido como "Dutching" também foi inventado por ele.

1847 - O inglês Joseph Fry & Son descobriu que misturando um pouco de manteiga de cacau ao chocolate alcalinizado (Dutched) e adicionando açúcar podia moldar o produto em barras sólidas criando o chocolate na forma moderna como conhecemos.

1849 - O chocolate na forma de barras foi apresentado durante a exposição de Bingley Hal em Birmingham, na Inglaterra por Joseph Fry & Son e Cadbury Brothers.

1851 - Durante a exposição de Príncipe Albert em Londres pela primeira vez os Americanos apresentaram bombons e cremes de chocolate.

1861 - Foi criado por Richard Cadbury o primeiro coração feito de chocolate para o dia dos namorados (valentine's day).

1868 - A primeira caixa popular de chocolate foi lançada no mercado por John Cadbury.

1876 - O chocolate ao leite foi inventado pelo suíço Daniel Peter em Vevey, na Suíça.

1879 - Daniel Peter e Henri Nestlé se juntaram numa sociedade para fundar a empresa Nestlé.

1879 - O suíço Rodolphe Lindt em Berne, na Suíça descobriu por acaso o processo de concheamento de chocolate. Ele havia inventado uma máquina para arredondar as partículas sólidas do chocolate. Esta máquina consistia num recipiente onde havia uma placa de granito ao fundo e onde um rolo de granito se movia alternadamente, refinando a massa de chocolate. Após setenta e duas horas de funcionamento ele observou que o sabor do chocolate havia mudado para melhor caracterizando assim o processamento de chocolate.

Fonte: Meller